Solidão

“O verão separa as pessoas. O Paulo e Paula devem estar em Berlim. O Paulo C. Domingos no Porto Covo, em férias. E eu onde estarei? Visto que não me sinto presente em lado nenhum. (…) Enlouquecerei, provavelmente. Mas não tem importância perder a razão. Outra razão se adquire, certamente, semelhante à da ave, ou do peixe, ou ainda a da vida da própria terra. (…)

Mas, no fundo, já nada é muito importante. Já não amo. Já não me dá gozo foder. Já não como com prazer. Durmo mal, canso-me depressa. Não sei onde ia. Chateia-me falar. Tudo me aborrece. Nenhum consolo para esta solidão. Às vezes, penso que são manias minhas. Que me disponho para este estado de grande desolação, propositadamente. Depois, tenho muito medo de saber que detesto o mundo. E medo de não encontrar remédio para isto.

Al Berto, in “Al Berto Diários”, 1984

sjdnklxakijd

Anúncios

30 thoughts on “Solidão

    • Isto não é de minha autoria. É um excerto de Al Berto.
      Pelo que tenho conhecimento ele não compos nenhum tipo de canção. O que me parece uma pena. Talvez um dia alguém agarre num poema/texto dele e consiga cantá-lo 😀
      Beijocas*

      Gostar

  1. Pingback: Solidão | O Retiro do Sossego

  2. Olá Vanessa
    Interessante o começo do seu texto “O verão separa as pessoas…”. faz um contraponto aquela ideia de praia e férias divertidas. Não sei se é esse seu sentimento mas sei que a solidão faz parte de nossas vidas e em algum momento nos sentimos assim por algum motivo. Espero que não seja no verão. Grande abraço menina. Conheci seu blog no Divulga Blog e se puder faça uma visita ao meu http://www.fernufala.com. Bjssss

    Gostar

    • O texto é da autoria de AlBerto, não é meu.
      Mas embora o verão seja para reunir, muitas vezes acaba por nos afastar pelo motivo de cada um querer ir para sítios diferentes.
      Claro, todos passamos por essa fase de nos sentirmos sozinhos, mas não é a minha situação, tanto que adoro estar comigo própria 😀
      Beijocas*

      Gostar

  3. Que susto!
    Por momentos pensei que as palavras fossem minhas, levando-me a “saltar” para a data. Pensava: – “Como posso sentir-me como nos verões de antes?”
    Mas em 84 ainda era criança. Pelo menos, alguém que sente tal como senti durante verões a fio :/

    Liked by 1 person

    • Quando somos crianças e os nossos amigos vão todos de férias com os pais é uma tristeza gigante, porque ficamos aqui ‘abandonados’. Felizmente, os meus amigos iam em alturas diferentes.
      Mas contextualizando a vida dele, um escritor, a viver sozinho, com uma idade mais avançada, aqueles amigos/casais mais próximos vão passar duas semanas a algum lado, e é normal este sentimento de solidão de abandono…que em imensos momentos sentimos, até quando temos as pessoas por perto, quanto mais, quando elas estão longe.
      E dá que pensar, vindo de uma pessoa que mora à frente da praia, com uma vista excepcional, sentir-se abandonado…as coisas mais importantes o dinheiro não trás mesmo.
      Beijocas*

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s