Os Amigos

“Dizem que a família não se escolhe. Não questionando a gritante evidência de tal afirmação, acrescento que não é só a família que não se escolhe. Acredito que no caso de alguns amigos o mesmo também acontece. Há amigos que surgem quando menos se espera: são-nos apresentados, oferecidos pelo destino na mais inusitada das ocasiões, como numa guerra entre ruas na nossa criancice, pré-adolescência. Quem diria que o miúdo com quem ia andando à porrada há mais de vinte anos seria ainda hoje um dos meus melhores amigos? Por outro lado, a partir de uma certa idade, deixamos de fazer amizades porque vai sendo mais difícil partilhar as nossas idiossincrasias, porque a paciência é cada vez mais reduzida – enfim, porque sim. Também se diz que os amigos são para os bons e maus momentos, mas eu eu sou mais o amigo dos maus momentos. Se o meu amigo estiver doente, é certo que eu vou vê-lo. Se comemora o aniversário, celebra uma qualquer data importante, ou mesmo se se vai casar, aí já não é tão certo que apareça, como já aconteceu um par de vezes. E eu tenho a plena e dolorosa consciência de que tenho faltado a demasiados momentos ao longo dos anos.
Eu estou a mudar lentamente, mas há certas coisas que nunca irão mudar. Eu nunca vou gostar de estar com muita gente no mesmo lugar.”
Algodão – Os amigos

Advertisements

32 thoughts on “Os Amigos

  1. É uma “verdadeira verdade”. 😀 E também digo que os amigos são a família que escolhemos, porque apesar de entrarem na nossa vida sem pedirmos, sem querer escolhemos tê-los ao nosso lado para sempre, partilhando emoções, momentos e uma vida. Por esta e outras razões a amizade é a base das relações mais douradoras. 😀

    Liked by 1 person

    • Sim, sem dúvida, mas parece quase sem querer a forma como algumas pessoas entram na nossa vida e as voltas que as relações dão, como o exemplo da música: há uns valentes anos andávamos à porrada e agora somos inseparáveis, quem diria na altura. Eu tenho exemplos de pessoas de quem não gostava à priori e quando as circunstâncias da vida meteram essas pessoas à minha frente outra vez a minha ideia sobre elas mudou.

      Gostar

  2. Gostei muito deste texto .
    Concordo e subscrevo estas ideias.
    Gostei muito da ideia …”Também se diz que os amigos são para os bons e maus momentos, mas eu eu sou mais o amigo dos maus momentos “…Bom princípio,infelizmente existem tb alguns maus momentos e é aí…
    Muito das nossas “vidas ” vai acontecendo por acasos ! A amizade sincera e leal ,é das melhores coisas que nos pode ir acontecendo. É mesmo verdade !
    E muito,mas mesmo muito importante.
    Mas nem sempre é verdadeira … o bicho homem …
    Saber mesmo com quem contar… E percebo tão bem : ” Eu nunca vou gostar de estar com muita gente no mesmo lugar.”
    Há o outro lado… tanta hipócrisia ,tanto fingimento, tanta…
    Parabéns, pepezinhaaa !
    Gostei mesmo ! 🙂

    Beijo,
    José

    Liked by 1 person

    • Esta letra dos Algodão é sem dúvida uma delicia.
      É óptimo quando encontramos esses bons amigos que ficam também nos maus momentos, mas fica aquela sensação amarga quando falhamos ou nos falham bastas vezes a situações/momentos importantes da vida dos que nos são queridos/da nossa própria vida. Por vezes, há tantas outras coisas para fazer e deixamos a vida passar por nós nesses momentos doces.

      Sabemos lá com quem contar. As pessoas surpreendem-nos a todos os momentos, e por vezes aqueles que julgámos que não iriam estar lá, são os que estão e vice-versa.

      Os males de estar rodeado com muita gente são: não estarmos realmente com ninguém (as conversas são bem mais superficiais) e grande parte das vezes há intrigas (o que leva a hipocrisia, fingimento – bem desculpáveis, porque acontece sermos obrigados a socializar com pessoas de quem não gostamos e por cortesia tentamos ser simpáticos, para não criar mau ambiente). Por último, acho que o ser humano é um ser muito conflituoso.
      Fico feliz que tenhas gostado do excerto que partilhei 😀
      Beijocas
      Vanessa Pereira, prazer José (Magalhães, suponho).

      Liked by 1 person

  3. Excelente!
    Nos últimos anos, convivendo de perto com casos de cancro, tendo um deles terminado, na passada quinta em morte (meu pai), tenho vindo a constatar que é nos maus momentos que os amigos surgem. Até porque os outros, voltam-nos as costas!

    Liked by 2 people

    • Lamento muito o sucedido. Recebemos muitas vezes apoio das pessoas que menos esperamos é verdade. Mas também acredito que haja uma ou outra pessoa que não está presente por não saber como lidar com a situação ou por tentar dar espaço (que julgam ser o mais positivo) e esperar que os procures. Todos temos uma forma particular de analisar as situações.
      Mas esses são momentos também para filtrar quem
      são aqueles que nos apoiam quando precisamos, porque quando tu estás normal as pessoas estão contigo. É difícil é celebrar as vitórias dos outros e apoiar os outros nos momentos negativos.
      Os meus sentimentos. Um abraço apertado. E beijocas*

      Liked by 1 person

      • Sem dúvida!
        Claro que há sempre quem não saiba reagir perante a situação. Pode acontecer com qualquer um de nós. Mas há sempre um SMS, um e-mail ou um telefonema. Enfim, qualquer marca da presença.
        Outras há, e dele faço parte,ainda que aqui tenha tido que enfrentar a realidade de forma nua e crua, que não conseguem encarar o doente. Neste caso, tal era mesmo muito difícil, nas duas últimas semanas. Mas até com doentes “mais simples”, deparo-me com esse entrave.
        Grande abraço. Grato pela atenção e carinho.

        Liked by 1 person

      • Sim, tens toda a razão, pelo menos uma chamada ou uma mensagem a mostrar que estamos presentes.
        Eu também sou assim, não tenho coragem de enfrentar o doente. Tanto que se vou visitar alguém tenho de ir rodeada de outras pessoas, sozinha não vou. Seja que situação for. Uns amigos meus tiveram um acidente de carro, nada grave, há uns anos, um dos rapazes tinha uma perna partida e estava no hospital (ficou lá um mês), mas tinham-me dito que ele estava com a cara um bocado inchada (por causa do embate) e fui com mais 3 pessoas visitá-lo, porque sinto que não sei o que dizer e ir para lá e falar sobre o acontecimento soa-me pior do que não ir, e depois é o encarar o estado da outra pessoa, e das outras pessoas do quarto…e, claro, acho que ninguém gosta de ir a hospitais…
        Não tens de agradecer Paulo, beijoca grande.

        Gostar

      • Bem verdade, não imagino…:S o meu tio faleceu há uns 6 anos com cancro e foi muito difícil para a família e especialmente para a minha tia e as minhas primas (que na altura tinham 15 e 10 anos). E não há tempo que cure a dor da ausência. Mas temos de aceitar e aprender a viver com isso. Alguns imaginam que no futuro os vão encontrar – não faz parte das minhas crenças porque sou ateia – mas se ajuda de alguma forma a superar a perda, então apoio-a. E tenho uma família católica e muito crente.

        Liked by 1 person

      • Olá, pepezinhaaa !
        Quando as pessoas nos são queridas,sentiremos sempre muito a sua ausência.
        E há sempre identificação / a sua falta nos momentos que são importantes,datas especiais ,etc.
        Há que tentar ser forte…e seguir em frente,dentro das possibilidades de cada um.
        Todos já tivemos perdas…mas há perdas e perdas.
        Voltar a encontrar …um dia ? Tb não acredito,o homem é apenas mais um ” bicho ” igual a todos os outros.
        Há um aspecto em que residem diferenças em nós ,talvez tenhamos mais afectividade e um sentimento de perda mais desenvolvido . Por um lado é bom,por outro é negativo ( maior sofrimento ).
        É assim que penso.
        Beijo,
        José

        Gostar

      • Sim, temos de tentar ser fortes, e cada um ”agarra-se ao que pode”. Todos vamos perdendo pessoas, uns mais queridos outros menos, uns mais fortes outros menos. E temos de criar mecanismos que nos ajudem a lidar com a situação. É difícil. Mas a vida tem de continuar. Eu gosto de pensar que não está cá a sofrer, porque sou aquele tipo de pessoas que pensa ‘ah podia ser pior’. Comigo resulta. Há aqueles dias mais complicados – datas, conversas, lugares. Mas faz parte da vida. E temos de tentar distrair a cabeça, pensar noutras coisas…ocupar o tempo com coisas que gostamos.
        Mas somos todos diferentes e sentimos de forma particular.
        Beijocas*

        Liked by 1 person

    • Tão verdade 😀
      A amizade é a base de qualquer relação. E, além disso, são os amigos que nos ajudam a distrair, a melhorar, a animar,…que nos dão a mão nos momentos menos bons e que nos felicitam quando estamos perante uma vitória.
      Obrigada pela partilha.
      Beijocas*

      Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s